Censura em Cena


OBCOM - ECA - USP


Liberdade de Expressão, Censura, Comunicação

Saiba mais

Leitura da Quinzena

Rasga Coração

Sobre o projeto: Censura em cena

Desde o ano 2000, quando assumimos a Presidência da Comissão de Biblioteca da Escola de Comunicações e Artes da USP, entramos em contato com o Arquivo Miroel Silveira, uma coleção de 6.137 processos de censura prévia ao teatro, de 1930 a 1970, cada um contendo os documentos oficiais do Departamento de Diversões Públicas do Estado de São Paulo, assim como os originais da peça em análise com as anotações dos censores. Esse Arquivo recebeu o nome de Miroel Silveira em homenagem ao professor, crítico, poeta, dançarino e tradutor que conseguiu resgatar essa documentação, impedindo seu desaparecimento e deixando-a à disposição de professores, alunos e pesquisadores da ECA. Justíssima homenagem.

Em torno dessa e de sucessivas pesquisas que foram realizadas até 2019, reuniram-se inúmeros pesquisadores em diferentes graus acadêmicos, da Iniciação Científica ao Pós-Doutoramento, o que resultou em inúmeras publicações, assim como convênios nacionais e internacionais com instituições credenciadas. A partir dessa produção foi criado o Núcleo de Apoio à Pesquisa Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura da Universidade de São Paulo, o OBCOM-USP, buscando denunciar os malefícios da censura para o desenvolvimento da arte e da cultura e defender a liberdade de expressão no país.

Entre as muitas atividades realizadas com essa finalidade, uma das mais importantes foi o Projeto Censura em Cena, realizado sob coordenação de Cristina Costa, Renata Pallottini e Roberto Ascar, no Centro de Pesquisa e Formação do SES SP, entre 2016 e 2018. Compunha-se da Leitura Dramática de peças que haviam sido vetadas pela Censura, muitas das quais sequer chegaram a estrear, e a ela seguia-se um debate sobre o autor, a obra e a censura sofrida. Foram 14 Leituras Dramáticas realizadas sob os auspícios do SESC SP e que contou com artistas profissionais, alunos de artes cênicas da ECA e muitos intelectuais (professores, diretores de teatro, historiadores) debatendo as questões censórias. Essas Leituras Dramáticas foram registradas em fotos e vídeos e, agora, estão sendo publicadas para que continuem lembrando aos visitantes deste site que a liberdade de expressão é condição essencial para o amadurecimento da arte e da cultura. 

Todo esse trabalho só foi possível com apoio científico e financeiro da Universidade de São Paulo, da FAPESP, do CNPq, da CAPES e do SESC SP. 

Começaremos pela peça Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, musicada por Chico Buarque de Holanda. 


Cristina Costa 


Projeto Censura em Cena


Coordenação Geral:
Maria Cristina Castilho Costa

Coordenação das Leituras Dramáticas:
Renata Pallottini e
Roberto Ascar

Coordenação Administrativa:
Jacqueline Pithan

Compartilhe






Apoio